Revista online da Vector Engenharia e Automação

NESTA EDIÇÃO - EDIÇÕES ANTERIORES - RECEBA VECTORIAL - HOME VECTOR

CCO SANED

Distribuição de água monitorada em Diadema

O município de Diadema, na grande São Paulo, já conta com sistema de automação da Vector Engenharia para monitorar e controlar a operação de abastecimento de água e esgotamento sanitário. O sistema implantado envolve controle de bombas e reservatórios.

 

 

 

Localizado na região do ABC, a aproximadamente 19 quilômetros da cidade de São Paulo, Diadema é um município com quase 400 mil habitantes e cerca de 30 quilômetros quadrados de área. A água que abastece a cidade provém da Estação de Tratamento de Água de Rio Grande, que é parte integrante do Sistema Produtor Rio Grande – Represa Billings, localizado em São Bernardo do Campo e operado pela SABESP. A SANED recebe essa água no Reservatório Jardim das Nações e a distribui por toda cidade. No total, a Companhia possui quatro reservatórios: o Jardim das Nações, com capacidade de 20.000 metros cúbicos; o Parque Real, com capacidade de 12.500 metros cúbicos; o Sanko, com capacidade de 1950 metros cúbicos; e o Eldorado I, com capacidade de 5.000 metros cúbicos. Este último é o mais novo dos reservatórios, foi construído com financiamento do PAC I- Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal -, beneficiando os bairros Eldorado e Jardim Inamar, localizados na região Sul de Diadema.

O primeiro serviço de saneamento de Diadema surgiu em 1969, quando uma Lei Municipal criou o SAAED – Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Diadema. Depois disso, em 1971, o SAAED se transformou em DAED – Departamento de Água e Esgoto de Diadema, que implantou o abastecimento de água e a coleta de esgoto, principalmente nas regiões centrais, com o objetivo de viabilizar a chegada de novas indústrias. O Departamento atuou até 1974, quando a Prefeitura entregou à Sabesp a concessão dos serviços de saneamento.

Em 1993, através da Lei 1254/93, a Prefeitura criou a SANED - Companhia de Saneamento de Diadema, a qual, atualmente, possui números expressivos em relação à distribuição de água e coleta de esgoto. Cem por cento da cidade recebem água potável e 96% possuem coleta de esgoto. A rede de água tem extensão de 753 quilômetros e a de esgoto 427 (fonte: julho/2012). E foi nessa expressiva rede de saneamento que a Vector Engenharia implantou seu sistema de monitoramento e controle.

O sistema, que verifica status de bombas, reservatórios e tubulações, é controlado a partir de um Centro de Controle e Operações (CCO) de última geração, também fornecido e integrado pela Vector. Nele, operadores da SANED são capazes de monitorar grandezas como pressão e vazão das bombas, além de controlá-las à distância. Um ganho de confiabilidade e agilidade, segundo Rodrigo Spakovskis, Encarregado de Operações da SANED.

“Antes do sistema da Vector, era necessário que no começo de cada plantão, um operador fosse até um booster verificar os status de pressão de saída e entrada. Assim, saberíamos se a área estava ou não com problemas. Ou tínhamos que aguardar algum usuário reclamar. Agora, com o sistema da Vector monitorando, temos os dados a todo o momento”, disse Spakovskis.

O comando das válvulas dos reservatórios também é de suma importância. Um deles – reservatório elevado -, gerava trabalho árduo para os operadores da SANED controlarem a entrada de água.

“Esse reservatório elevado tem quase 30 metros de altura, e tínhamos um grande trabalho para acionar suas válvulas: um operador tinha que subir nele e acioná-las. Agora, com o novo sistema, fazemos isso do CCO”, comemorou Spakovskis.

Além do controle interno e das maiores facilidades operacionais, Rodrigo enxerga o novo sistema como um “avanço tecnológico que traz uma resposta mais rápida para o anseio de um usuário”. Segundo o Encarregado de Operações da SANED, o antigo sistema de controle era vulnerável, acarretava muitos problemas, principalmente no verão quando caíam fortes pancadas de chuvas, e demorava na constatação e resolução dos defeitos.

"O sistema implantado pela Vector faz com que a SANED tenha maior agilidade para atender as necessidades dos usuários, pois agora possui informações verdadeiras através dos dados em tempo real, permitindo, inclusive, antecipar esse atendimento, aumentando a disponibilidade dos serviços da SANED. Tendo todas nossas unidades monitoradas através do CCO, podemos dar uma resposta mais ágil para uma possível falha ou falta de água", explicou.

Outro ponto que cabe destacar é o controle de perdas, pois as pressões de recalques dos boosters agora são sob demanda, o que gerará significativa economia, tanto evitando desperdício de água e energia elétrica, quanto diminuindo os vazamentos e rompimentos de redes.

"Além disso, é um sistema bem lúdico, interativo e em 3D, que será de muita utilidade para as visitas escolares que recebemos. Ele pode facilitar o entendimento de pessoas leigas, como crianças e adolescentes. Com isso, a SANED pode se tornar um agente agregador de informação para escolas, unidades básicas de saúde e todo aquele que quiser conhecer um sistema de abastecimento de água", concluiu.

"Desde maio de 2012, 400 pessoas já visitaram o novo CCO da SANED. Trata-se de um serviço de educação ambiental, através de visitas monitoradas, cujo objetivo é fomentar e despertar, principalmente nas crianças, a atitude do uso racional da água. A Companhia pretende que as crianças entendam que a água passa por diversos caminhos e etapas até chegar as suas casas, e que deve sim ser valorizada e preservada, pois o simples ato de abrir a torneira e cair água não é mágica, existe um investimento até que ela saia na torneira de forma que possamos utilizá-la com segurança", explicou Celso Crespo, Diretor Operacional da SANED.

"O projeto de valorização e uso racional da água também inclui uma oficina de pequenos reparos de instalações hidráulicas, destinada ao atendimento do público interno da Companhia e externo, como demais secretarias do município (habitação), sociedades de bairros e outros", acrescentou o Diretor.

Todas estas melhorias foram possíveis graças a um investimento do Governo Federal, em convênio com a Prefeitura Municipal de Diadema e a SANED. O aporte veio através do PAGSAN (Programa de Apoio à Estruturação de Gestão e à Revitalização dos Prestadores Públicos de Saneamento Básico), uma iniciativa do Ministério das Cidades que visa melhorar a qualidade e a eficiência dos serviços públicos de saneamento básico.

E as melhorias não param por aí. “Outros investimentos estão sendo feitos. Dentre eles, e o mais importante, a construção de um novo reservatório de 5 milhões de litros – o Eldorado II - que aumentará a capacidade de reservação da SANED em mais 12%. A Obra, financiada pelo PAC II, já está em fase licitatória e deverá ser entregue em setembro de 2013”, concluiu Celso.


Vectorial é uma publicação da Vector Engenharia e Sistemas de Automação
(C) 2008-2012 - www.vector.com.br
Criação e desenvolvimento: Allameda.com